O Futuro das Tinturas de Cabelo

O Futuro das Tinturas de Cabelo

A futura revolução das tinturas permanentes

A tecnologia teve progresso muito rápidamente em muitas áreas, mas no campo das tinturas para o cabelo não teve grandes mudanças nos últimos 100 anos. A tecnologia básica para tingir o cabelo somente foi modificado em 1907 quando se criou a primeira tintura comercial, baseada em parafenilendiamina (PPD). Desde então, a maioria das tinturas de cabelo contém este composto, junto ao amoníaco ou peróxido como agentes que colorem a cutícula do cabelo.

O futuro da coloração

A análise de quase 500 artigos técnicos e patentes sobre a química das tinturas permanentes, abrangem esses dados sobre o passado e faz prognósticos que haverá importantes inovações nos próximos anos, incluindo o desenvolvimento de tinturas de maior duração e aspecto mais natural, assim como terapias genéticas para reverter o grisalho.

Experts da Universidade de Edimburgo, Reino Unido, concluem que a indústria da coloração do cabelo gozará de uma expansão ainda maior no futuro, devido ao aumento da expectativa de vida, de uma população mundial que anseia manter uma aparência juvenil. Isso está propiciando um estrondo na investigação sobre novas tinturas e tecnologias alternativas.

Os cientistas estão progredindo para métodos para tingir o cabelo que sejam cada vez mais cômodos, modernos e seguros. Por exemplo, entre as futuras técnicas se incluem colorantes compostos por pigmentos à base de partículas de tamanho nanométrico, que penetrarão no cabelo e ficarão presas com a maior eficácia, proporcionando uma cor mais duradoura.

Também estão desenvolvendo substâncias que estimulam genes específicos para que produzam melanina, o pigmento que dá cor ao cabelo, para poder produzir uma gama de cores mais ampla e de aparência cada vez mais natural.

Koleston estava e estará sempre na vanguarda para prestigiar a novidade em colorações lindas, intensas e duradouras para o cabelo.

Artigos relacionados